?

Log in

Covil Royal
Garçom, Reginaldo Rossi 
26th-Apr-2014 01:34 am
cirno
É complicado, moça.
Eu cresci odiando seus namorados.
Mas o seu atual, meu deus.
Que horror.
Eu odeio do fundo da alma.

O jeito que ele te toca me faz tremer de ódio.
O jeito que ele te beija me enche de ciúmes
Mas quão tarde eu fui perceber
Que o que eu mais tinha raiva foi notar
Que esse amor solitário
Que nutria por você
Apenas me distanciaria de ti?

Eu me aproximei, sem querer
de seu novo namorado.
Eu já não me importava mais.
Era duro viver sem honestidade.

De pavor se preenchia meu ser
Ao pensar no que poderia ser
Viver sem ter alguém pra envolver
que não seu namorado?

"Garçom, aqui nessa mesa de bar
você já cansou de escutar
centenas de casos de amor"

Ah. Essa dor. Ao saber que ele só amaria você.

"Saiba que meu grande amor
Hoje vai se casar
Mandou uma carta pra me avisar
Deixou em pedaços meu coração"

Eu chorei. No bar. Não por querer,
Mas foi tudo que pude fazer.
Minha querida de sonhos antigos já não me importava.
Eu só o desejava.
Ah, Maripoldo. Não me diga que o que aconteceu no banheiro foi em vão.
Não me diga que aquele dia, na casa da dona Anástacia, não significou nada.
Não me diga que não a contou a verdade,
E que vai se casar sem amar.
Não me diga que me soltou da prisão em vão.
E nem que cuidei de seus 7 filhos de outras mulheres e não significou nada.
Cansei de limpar merda de criança, por sua causa nunca mais vou casar.

Hoje eu vou chorar.
This page was loaded Jul 22nd 2017, 8:37 pm GMT.