?

Log in

No account? Create an account
Covil Royal
Recent Entries 
sigma
    Hoje Ricardo decidiu se confessar. Ele é um rapaz nervoso, treme por qualquer coisa e passou o dia vomitando. Finalmente conseguiu telefonar para Raphael, e mesmo ensopado de vômito, conseguiu escolher bem as palavras.
    - Cá vem, Raph, que eu te tengo algo para mostrar.
    Claramente uma ótima escolha de palavras. Vamos assistir nosso protagonista planejar sua deliciosa declaração, pois além de tudo, ele é genial.
    - Raphael sempre me foi um bom rapaz. A primeira vez que o vi, ajudou a mim e a minha irmã a achar um ateliê que ela estava interessada. Uma pena, ela acha que eu não sei que ela se apaixonou por ele. Bom, mas é um feitiço, né. Ele me cativou, e eu não quero perder a batalha.
    Nosso protagonista tem esse hábito de personagem de fanfic de falar em voz alta o que pensa, mas até é um pouco sensato, pois ele só fala quando está só em casa. Em companhia, se sente um pouco desconfortável, sem falar que é meio neurótico e estressa as pessoas. Mas isso não o impede de fazer graça e divertir-se, ou até mesmo de ser capaz de amar outra pessoa.
    Cozinhar com a TV ligada é um costume terrível que faz Ricardo desperdiçar energia, mesmo distante da sala. Puta moleque irresponsável, não se preocupa com as crianças e com nada. E finalmente notou que estava fedendo, passou pela cozinha e ouviu o comercial de sopinha de letrinhas. O garoto teve uma epifania, e foi tomar banho.
    Desligando a televisão para se concentrar ao máximo, Ricardo vestiu sua roupa favorita: uma camisa tai-dai mal feita, um calção com padrão de camuflagem e uma bota vermelha. Ah, não vamos esquecer do boné que ele ganhou na eleição passada, ao passar, sem querer, por um político que estava fazendo campanha e distribuindo bonés pra população não morrer de calor durante o comício.
    Pois bem, chegou a hora de Raphael chegar, e o rapaz de cabelo loiro apenas olhou muito estranho para o companheiro de cabelo castanho e olhos azuis. Eram tão azuis que pareciam bilas quebradas.
    - Boa noite, Rich, vai me deixar entrar? - Ricardo havia congelado com o pensamento de ter seu amado em casa, e finalmente se tocou que estava chovendo e que estava bloqueando a entrada pro cabra ensopado com um guarda-chuva de coelhos de satanás entrar.
    - Sim, Raph! Entra. Eu fiz o jantar, está quentinho.
    - Mas o que você queria me mostrar?
    - Só entra, que você saberá.
    Sentando-se na cadeira de pau com estampa de cisnes, Raphael sentiu seu bumbum aquecido com um calor estranho. Parece que o maldito havia adormecido na cadeira. Evitando desviar a atenção, algo tão quente quanto sua bunda pousou sobre sua frente. Era uma sopa. De letrinhas.
    - Meu filho, você passa fome? Acho que você devia parar de tomar esses condimentos aí, ou você vai morrer Ricardão.
    - Relaxa, bruxinho. Essa é a magia da coisa.
    Ah. Que narrador de merda eu sou. Ricardo é o único que sabe que Raphael é um bruxo. Mas voltando a narração, Raph deu uma colherada, sem olhar pro prato, pra experimentar. Queimou a língua. Então decidiu olhar pro prato dessa vez, e se deparou com a seguinte mensagem:
    "te amo rah"
    Ele não piscou. Continuou a tomar a sopa. Então olhou para Ricardo quando terminou de saborear o prato que o traria problemas quanto a saúde uns anos mais tarde. Raphel chamou o rapaz de olhos de bila quebrada pra perto, e disse pra ele olhar pra cima. Ricardo, de abestado, olhou, achando que era uma aranha ou uma macumba de sua irmã. Raph o puxou pela gola da camisa de tai-dai, que, aliás, era rosa-neon com verde-limão, e tacou um beijo nos beiço do menino. Rich ficou tão assustado que pediu pra eu não interromper e sair do recinto para não narrar mais a história pra vocês. Estou aqui no meu quarto, finalizando esse texto para postar no 4chan. Já mencionei que o Rich geralmente não nota quando estou em casa? Poisé. Ele só me notou depois que voltou do banheiro. Acreditam que o danado não me deu nem um pratinho de sopa? Puta corno do inferno, vai te lascar infeliz. Foda-se.

Download Audiobook por @Iansrv
27th-Apr-2014 06:59 pm - O Canto do Fogo
sigma
Há algo no fogo que me enfeitiça
Não consigo tirá-lo da mente,
Mas o assisto de longe para não me queimar.
Há algo na sua sombra que me convida,
E me esforço para não o beijar.

Ele treme levemente graças ao vento,
E com o vento, ele se espalha e me envolve
Dança como uma boa bailarina,
Sem charme, sem demora

A cinza nasce, e eu acompanho sua chegada
O fogo a expande, eu traio o sono e decido
Que é hora de acordar.

Sei que um dia eu me engano, e que vou morrer
O incenso é consumido pelo fogo,
Minha vida é tomada por um calendário de dias passados.

O meu corpo é como sua vareta,
Durante minha vida, encanto e sinto os outros ao meu redor
Minha alma é a fumaça,
E na vida que acaba, os desafortunados temem ser encontrados

O incenso cai, sua bituca com a chama se separa da ponta,
Mas ele insiste em reconquistar sua existência
E une as partes separadas, como um suspiro imoral
O beijo salvou o corpo, e uniu-se uma vez mais

Mas antes de alcançar sua ponta, pensou:
"Se algo me interromper, não atingirei o máximo
mas isso não quer dizer que seja meu destino
pois no fim todos terão minha essência
e eu estarei em todos que me sentiram"
26th-Apr-2014 01:34 am - Garçom, Reginaldo Rossi
cirno
É complicado, moça.
Eu cresci odiando seus namorados.
Mas o seu atual, meu deus.
Que horror.
Eu odeio do fundo da alma.

O jeito que ele te toca me faz tremer de ódio.
O jeito que ele te beija me enche de ciúmes
Mas quão tarde eu fui perceber
Que o que eu mais tinha raiva foi notar
Que esse amor solitário
Que nutria por você
Apenas me distanciaria de ti?

Eu me aproximei, sem querer
de seu novo namorado.
Eu já não me importava mais.
Era duro viver sem honestidade.

De pavor se preenchia meu ser
Ao pensar no que poderia ser
Viver sem ter alguém pra envolver
que não seu namorado?

"Garçom, aqui nessa mesa de bar
você já cansou de escutar
centenas de casos de amor"

Ah. Essa dor. Ao saber que ele só amaria você.

"Saiba que meu grande amor
Hoje vai se casar
Mandou uma carta pra me avisar
Deixou em pedaços meu coração"

Eu chorei. No bar. Não por querer,
Mas foi tudo que pude fazer.
Minha querida de sonhos antigos já não me importava.
Eu só o desejava.
Ah, Maripoldo. Não me diga que o que aconteceu no banheiro foi em vão.
Não me diga que aquele dia, na casa da dona Anástacia, não significou nada.
Não me diga que não a contou a verdade,
E que vai se casar sem amar.
Não me diga que me soltou da prisão em vão.
E nem que cuidei de seus 7 filhos de outras mulheres e não significou nada.
Cansei de limpar merda de criança, por sua causa nunca mais vou casar.

Hoje eu vou chorar.
revy, black lagoon
Ela gostava de vermelho.
Seus lábios.
Seu cabelo.
Suas roupas.
Suas bochechas,
e orelhas,
e sutiã,
e calcinha.
Ela gostava de vermelho mais do que qualquer coisa no mundo.

Quando nos beijávamos, meus lábios ficavam vermelhos por seu batom.
Como uma denúncia, logo nos descubriram.
Eu estava vermelho, meu braço, mais especificamente.
Seu marido, Joaquim Dantas Carvalho Rubro, nos descobriu.
Ele cortou minha mão.

"Garçom, amigo
apague a luz da minha mesa
eu não quero que ela note em mim tanta tristeza".

Ele apagou. O que era vermelho, agora era negro. E eu sentia várias sensações que antes me pareciam desconhecidas.
Senti seu bigode em meu pescoço. Não o evitei.
Senti sua mão próxima de onde antes era minha mão.
Ele elevou meu braço ferido, mas não tão machucado quanto meu coração.
Eu o senti.
Estava bêbado, mas senti.

"Traga mais uma garrafa
hoje vou embriagar-me"

Estava bêbado. O garçom amigo não sabia meu nome. Nem eu.
Com a mesa escura,
No bar perdido,
Um homem sem mão redescobria-se
Lugares outrora distantes de seu passado intocado,
Agora ardente por um toque,
Por uma mordida,
Num barzinho distante.

Eu não fui corno.
Sempre soube da verdade.
Ela nunca me amou,
Mas o que passou me trouxe felicidade.

O prazer que agora me borrava os olhos,
Não era tão grande quanto o chifre do homem casado,
mas era deveras grande.
E foi nele que encontrei a alegria.
26th-Apr-2014 01:31 am - Dormi na praça, Bruno e Marrone
sigma
Ana Lorena.
Quando tinhamos 6 anos, prometemos que íamos nos casar.
Ela me deu um abraço e me chamou de filho da puta.
Marlene.
Emprestei borracha. Disse que a assistia na sala.
Ela disse que eu era estúpido e que me odiaria pra sempre.
Cíntia.
Vencia trufa. Comprei e a abracei.
Ela me jogou ao chão e disse que eu era um merda.
Satine.
Abriu meu coração. Senti desejo. A toquei.
Ela matou a irmã, fugiu.
Marta.
Nos amamos.
Ela se matou.
Meiriane.
Ela me odiava.
Se casou comigo.
Me apaixonei.
Não tivemos filhos.
Ela me traiu e me deixou.

Eu dormi na praça
pensando nela

Um guarda passou, eu disse
"seu guarda seja meu amigo,
me bata, me prenda,
faça tudo comigo,
só não me deixe ficar sem ela"

Ele não fez nada disso.
Sentou ao meu lado.
Tocou minha mão.
Me ofereceu algodão doce.
Nos beijamos.

Eu sou Antônio,
eu amei Martheus mais do que todos que já me cruzaram.

Mas o tempo foi cruel e levou Antônio de mim.

Morri, encontrei meu cachorro que morreu.
Mas onde foram todos meus amantes?
Fui perguntar ao anjo do céu.
Ele falou que só quem foi corno a vida inteira,
alcança o paraíso.

Download Audiobook por @Iansrv
29th-Jan-2014 10:36 pm - Exercício 1
sigma
Exercitando pois faz tempo que não escrevo. Sem jump, apenas o texto direto porque é bem curto. Escrevo bem mal na verdade, meu vocabulário é bem pequeno. Não foi exatamente uma "oh, ideia!", foi só um exercício de narrativa. Não sei se está claro, não revisei. Enfim... LOL

    - Maurie, minha filha, sei que seu sonho é voltar a vida, voltar a ser real. E para isso estudei, estudei, até que eu pudesse encontrar algum feitiço para trazer-lhe o respirar de novo, para que as pessoas finalmente pudessem a escutar, minha criança que partiu. Agora irei executá-lo. Me ame por favor.
    - Este feitiço irá dar-lhe alma, a partir de algo incolor. Alma, alma sem cor, é a água que fluirá como energia, através de seu sangue. Seu sonho será verdade, finalmente irá respirar. - e com isso, sua boca se fechou, seu sonho morreu, terminou. Sua criação o achava um fardo, tinha medo de nascer, de viver. Um momento sem vida, outro firme e forte, consciente de tudo que passou ao seu redor. Vários flashes a iluminaram. Maurie agora podia andar, mas o que mais queria era deixar de existir. Sua alma, marcada pelo elemento água, guardava em si todos os segredos do mundo.
    - Não anseio viver. Não tenho anseios. Não posso existir. Lauisiel, grande Deus das Criaturas, que me tire a alma para que eu possa dormir.
    Assim a neve a cobriu, para que Maurie pudesse assim voltar ao sono. No entanto Lauisiel não a realizou o desejo assim como pedia. Sua alma foi transportada então para o outro corpo, o corpo morto de seu pai. Agora sua alma estava presa, num corpo imóvel. E seu próprio corpo, vazio, pois a alma de seu criador partira há tempos. Maurie não voltou a ser um objeto, agora era um ser vivo preso em um corpo morto, sem mover-se.
20th-Sep-2013 06:10 pm - Yume Nikki: Capítulo 1
remilia scarlet
Você está sonhando de novo.

Parte 1: Você.

Capítulo 1: Um quarto pequeno

Leia maisCollapse )
まちあわせ(ピクブー)
Estarei começando a traduzir a novel de Yume Nikki para o português. Não sei como será a periodicidade, mas estarei seguindo as traduções do Baka-Tsuki.
Se quiser conferir as imagens, confiram essa página Ilustrações.
Mas antes, irei explicar um pouco sobre a origem da Novel.
Ela faz parte do projeto Yume Nikki, um grupo que possui os direitos comerciais sobre produtos relacionados ao jogo, não o jogo em si, e não há exata certeza de que Kikyama (criador do jogo - não se sabe nem se ele é só uma pessoa ou um grupo) aprovou.
No entando o projeto resultou em uma Light Novel, um mangá e um CD, sem falar em outros produtos como chaveiros.
O mangá foi escrito por Machigerita (compositor de algumas músicas de VOCALOID) e é ilustrado pelo Tomizawa Hitoshi (Alien 9, Milk Closet...). É uma webcomic gratuíta.
A light novel é escrita por Akira (Sasami-san@Ganbaranai, Kyouran Kazoku Nikki) e ilustrada por Arisaka Ako. É uma história paga. E há boatos de que Kikyama está supervisionando a LN.

Site do jogo, autor(a, es).
29th-Mar-2013 10:25 pm - Shoulder-a-coffin Kuro colored scans
まちあわせ(ピクブー)
kuro1

Hey youCollapse )
sigma
the sleepy3

They're a little old, but here they're.
Follow the bird~Collapse )
This page was loaded Sep 22nd 2017, 4:31 am GMT.